Biologia, Trabalho Escolar, Trabalhos Escolares, ZOOLOGIA

PLÂNCTON – Biologia, ZOOLOGIA, Trabalho Escolar.

PLÂNCTON

A pesca comercial é facilitada pelo fato de as principais áreas pesqueiras se situarem nas plataformas continentais. Isso acontece porque ali se concentra o plâncton, alimento de muitos peixes.
Plâncton é a denominação coletiva dada a formas microscópicas ou minúsculas de vida, animal e vegetal, que vivem suspensos nas camadas superficiais do mar ou da água doce, onde constituem a base dos ecossistemas. Rico em algas unicelulares, bactérias e protozoários, o plâncton inclui também crustáceos, moluscos, celenterados e representantes de quase todos os outros filos de animais. Distingue-se do nécton (constituído por animais que nadam) e do bento (composto de organismos que vivem no fundo do mar, rastejam e habitam covas, os sésseis). Costuma-se dividir o plâncton em fitoplâncton (plâncton vegetal) e zooplâncton (plâncton animal), mas essa divisão é incerta nos casos dos protistas, que não são claramente plantas nem animais.
O fitoplâncton é formado por grupos de algas, principalmente diatomáceas, dinoflagelados e cocolitoforídeos. Na maior parte das amostras de plâncton há também algas verdes, silicoflagelados e criptomônadas. O fitoplâncton de água doce, em geral rico em algas verdes, compreende também diatomáceas, algas verdes-azuis e flagelados verdadeiros. As algas captam a luz solar e elaboram sua matéria protoplásmica com o dióxido de carbono e os sais minerais diluídos na água.

O zooplâncton se subdivide em dois grupos: o temporário e o permanente. O primeiro é formado por larvas e ovos planctônicos de membros do bento e do nécton, enquanto o segundo compreende os animais que passam todo o seu ciclo de vida em estado de flutuação graças a diferentes meios, como órgãos flutuadores ou apêndices e cílios. De maneira geral, o ciclo biológico desses animais é curto; proliferam em resposta a condições ambientais favoráveis, nutrem-se da matéria protoplásmica elaborada pelas algas e desaparecem, ou por sua sedimentação nas camadas mais profundas dos oceanos ou capturados por outros animais planctônicos — que por sua vez constituem o alimento de invertebrados filtradores ou predadores maiores. Forma-se assim uma cadeia alimentar que chega até os peixes grandes e os mamíferos marinhos.
O estudo do plâncton comprovou a riqueza biológica de certas zonas, em especial as águas que rodeiam a Antártica, nas quais um pequeno crustáceo, o krill (Euphausia superba), se mostra promissor no campo da alimentação e aproveitamento em escala comercial.

Standard

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s