Biologia, ECOLOGIA, POLUIÇÃO, Trabalho Escolar, Trabalhos Escolares

Poluição – Parte II – Biologia – Trabalhos Escolares – ECOLOGIA.

POLUIÇÃO


A espécie humana, desde que apareceu no planeta, vem provocando profundas alterações em seu ambiente, muitas vezes como resposta a muitas necessidades de produção industrial, agrícola, a construção de moradias, usando agrotóxicos, jogando o lixo doméstico, industrial e hospitalar a céu aberto, entre outras muitas atividades humanas.
Quando determinada substância atinge determinada concentração, onde passa a ser prejudicial ao ambiente ou aos seres vivos, chamamo-la de poluente.
A poluição a que os seres vivos estão sujeitos, é algo muito mais amplo que a poluição química, que normalmente é lembrada pelas pessoas. O termo poluição pode ser usado no sentido de poluição sonora, visual ou ambiental, nas suas mais diversas formas.

1. Poluição do Ar
A poluição do ar é realizada por todas as formas de combustão realizadas em automóveis, indústrias, usinas termelétricas e queimadas de uma maneira geral.
Através das combustões são liberados para a atmosfera vários gases que são tóxicos para a espécie humana e para os seres vivos de modo geral.
A liberação de SO2 (óxido de enxofre) liberado da queima de óleo diesel e carvão mineral, combinado com oxigênio e água, forma o ácido sulfúrico (H2SO4), que é altamente corrosivo, formando a chuva ácida, que ataca mármores, latarias de carros, grades metálicas e, em contato com as vias respiratórias, provoca bronquite, asma e até a destruição de alvéolos pulmonares.
CO (monóxido de carbono) liberado a partir da queima de combustíveis fósseis, apresenta alta afinidade pela hemoglobina das hemáceas, pode levar um indivíduo à morte por asfixia.
CO2 (dióxido de carbono), liberado da queima dos combustíveis fósseis, torna-se poluente apenas em altas concentrações, sendo o gás responsável pelo efeito estufa do planeta. Este fenômeno físico é importante para a manutenção da vida no planeta, garantindo uma temperatura ideal para as atividades dos seres vivos. Segundo muitos cientistas, o efeito estufa em grandes proporções poderá ser extremamente prejudicial aos seres vivos, que ficariam expostas a altas temperaturas.
A figura a seguir mostra o esquema do efeito estufa provocado pelo acúmulo do gás carbônico na atmosfera no planeta.

O dióxido de carbono e algumas outras substâncias da atmosfera terrestre atuam como os vidros das estufas. Impedindo a perda da radiação infravermelha pela terra, são responsáveis pela retenção de calor na atmosfera.

2. Poluição da Água e do Sol
a) Metais Pesados
Muitas atividades humanas levam à poluição da água e do solo como a atividade do garimpo, que além de provocar prejuízos às margens ciliares dos rios, também contamina com metais pesados como omercúrio.
O mercúrio é usado no garimpo para fazer liga com o ouro, que é desfeita pelo calor do fogo, liberando vapores de mercúrio, contaminando a água e o ar. Este metal apresenta efeito cumulativo nas cadeias alimentares provocando lesões no sistema nervoso, cegueira, pés e mãos retorcidos, ulcerações nas gengivas e perda de tato.
O chumbo é liberado no ambiente a partir da queima da gasolina e nas indústrias de cristais e fundição, provocando uma doença chamada saturnismo, com perturbações nervosas, nefrites crônicas, paralisia cerebral, anemia e perda de peso.

b) Petróleo
Muitos acidentes com navios petroleiros liberam grandes quantidades de óleos na água levando a grandes prejuízos ao fitoplâncton e aos animais marinhos como aves, peixes, mariscos, entre outros.

c) Pesticidas – Agrotóxicos
Muitos produtos químicos usados pelo homem no combate a pragas na lavoura podem ser extremamente prejudiciais ao ambiente e à saúde humana.
Substâncias como inseticidas, fungicidas, herbicidas, entre outras, quando estão em alta concentração, provocam envenenamento dos alimentos, podendo ser cancerosos, e envenenamento do sistema nervoso.
Os compostos fosfatados inibem a ação da colinesterase que degrada a acetilcolina, causando tremores e paralisia muscular, dificuldade respiratória e até a morte.
Os compostos clorados como o BHC e o DDT são pouco biodegradáveis e possuem efeito cumulativo nas cadeias alimentares podendo provocar esterilidade em aves, problemas de calcificação em cascas de ovos e afetam também a população microbiana do solo.

3. A Radioatividade
A radioatividade até certas doses é perfeitamente tolerável pelos seres vivos, mas em altas intensidades, as radioatividades podem ser muito prejudiciais à saúde dos seres vivos.
A contaminação por estrôncio 90 pode levar á anemia e leucemia, pelo fato de ficar incorporado no sistema esquelético do indivíduo.
A contaminação por iodo 129 e 131, que aloja-se na tireóide, reduz a atividade desta glândula, podendo causar câncer na mesma. Este elemento radioativo foi liberado no acidente nuclear de Chernobyl em 1986.
O césio 137 pode ficar incorporado aos músculo, fígado, baço, podendo causar distrofia muscular, afetar a medula óssea, queimaduras pelo corpo, queda de cabelos e até a morte.

Anúncios
Standard

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s