ACENTUAÇÃO GRÁFICA, Dicas de Português, Língua Portuguesa, Matéria Português, Português, Reforma ortográfica

Reforma Ortográfica – ACENTUAÇÃO GRÁFICA – Regras Especiais – Regra dos hiatos – Dicas de Português

Reforma Ortográfica

O Parlamento português aprovou, em maio passado, o segundo protocolo modificativo do Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa. Assim, Portugal se une a Brasil, Cabo Verde e São Tomé e Príncipe, que, em 2007, ratificaram o protocolo, o que já garantia sua entrada em vigor.

No Brasil, o próximo passo será a assinatura do presidente Luiz Inácio Lula da Silva em 1º de janeiro de 2009. O prazo estimado de adaptação para os brasileiros é de três anos, mas a revisão já está valendo. A reforma ortográfica, portanto, só será obrigatória a partir de 2012, mas é bom começarmos a nos adaptar.

É preciso saber o que muda e o que não muda. Vamos começar pelas regras de acentuação gráfica.

A) – Regras especiais

1ª) Regra dos hiatos (abolida pela reforma ortográfica):

Como era?
Todas as palavras terminadas em “oo(s)” e as formas verbais terminadas em “-eem” recebiam acento circunflexo:

vôo, vôos, enjôo, enjôos, abençôo, perdôo; crêem, dêem, lêem, vêem, relêem, prevêem.

Como fica?
Sem acento:
voo, voos, enjoo, enjoos, abençoo, perdoo; creem, deem, leem, veem, releem, preveem.

Que não muda?
a) Eles têm e eles vêm (terceira pessoa do plural do presente do indicativo dos verbos TER e VIR);
b) Ele contém, detém, provém, intervém (terceira pessoa do singular do presente do indicativo dos verbos derivados de TER e VIR: conter, deter, manter, obter, provir, intervir, convir);
c) Eles contêm, detêm, provêm, intervêm (terceira pessoa do plural do presente do indicativo dos verbos derivados de TER e VIR).

Como fica?
ELE/ELA ELES/ELAS ELE/ELA ELES/ELAS
-ê -eem -em/-ém -êm

crê creem tem têm
dê deem vem vêm
lê leem contém contêm
vê veem provém provêm

2ª) Regra do “u” e do “i” (parcialmente abolida):

Que não mudou?
As vogais “i” e “u” recebem acento agudo sempre que formam hiato com a vogal anterior e ficam sozinhas na sílaba ou com “s”:

Gra-ja-ú, ba-ú, sa-ú-de, vi-ú-va, con-te-ú-do, ga-ú-cho, eu re-ú-no, ele re-ú-ne, eu sa-ú-do, eles sa-ú-dam;

I-ca-ra-í, eu ca-í, eu sa-í, eu tra-í, o pa-ís, tu ca-ís-te, nós ca-í-mos, eles ca-í-ram, eu ca-í-a, ba-í-a, ra-í-zes, ju-í-za, ju-í-zes, pre-ju-í-zo, fa-ís-ca, pro-í-bo, je-su-í-ta, dis-tri-bu-í-do, con-tri-bu-í-do, a-tra-í-do…

Observações:
a) A vogal “i” tônica, antes de “NH”, não recebe acento agudo: rainha, bainha, tainha, ladainha, moinho…
b) Não há acento agudo quando formam ditongo e não hiato: gra-tui-to, for-tui-to, in-tui-to, cir-cui-to, mui-to, sai-a, bai-a, que eles cai-am, ele cai, ele sai, ele trai, os pais…
c) Não há acento agudo quando as vogais “i” e “u” não estão isoladas na sílaba: ca-iu, ca-ir-mos, sa-in-do, ra-iz, ju-iz, ru-im, pa-ul…

Que mudou?
Perdem o acento agudo as palavras em que as vogais “i” e “u” formam hiato com um ditongo anterior: fei-u-ra, bai-u-ca, Bo-cai-u-va…

Como era/ como fica?
Feiúra – feiura;

Reforma ortográfica (2ª parte)

As mudanças ortográficas devido à reforma só serão obrigatórias a partir de 2012. Como a revisão já está valendo, é importante começarmos um processo de adaptação.
Vamos saber o que muda e o que não muda.
Hoje veremos mais algumas regras de acentuação gráfica que serão afetadas pela reforma.

3ª) Regra dos ditongos abertos “éu”, “éi” e “ói” (parcialmente abolida):

Como era?
Acentuavam-se todas as palavras que apresentam ditongos abertos:
ÉU: céu, réu, chapéu, troféus…
ÉI: papéis, pastéis, anéis, idéia, assembléia…
ÓI: dói, herói, eu apóio, esferóide…

Observações:
a) Não se acentuam os ditongos fechados:
EU: seu, ateu, judeu, europeu…
EI: lei, alheio, feia…
OI: boi, coisa, o apoio…
b) No Brasil, colmeia e centopeia são pronunciados com o timbre aberto.

Que mudou?
Perdem o acento agudo somente as palavras paroxítonas: ideia, epopeia, assembleia, jiboia, boia, eu apoio, ele apoia, esferoide, heroico…

Que não mudou?
O acento agudo permanece nas palavras oxítonas: dói, mói, rói, herói, anéis, papéis, pastéis, céu, réu, troféu, chapéus…

4ª) Regra do acento diferencial (parcialmente abolida):

Como era?
Recebiam acento gráfico:
Ele pára (do verbo PARAR – só a 3ª. pessoa do singular do presente do indicativo);
Eu pélo, tu pélas e ele péla (do verbo PELAR);
O pêlo, os pêlos (substantivo = cabelo, penugem);
A pêra (substantivo = fruta – só no singular);
O pólo, os pólos (substantivos = jogo ou extremidade).

Como fica?
Sem acento gráfico:
Ele para (do verbo PARAR – 3ª. pessoa do singular do presente do indicativo);
Eu pelo, tu pelas e ele pela (do verbo PELAR);
O pelo, os pelos (substantivo = cabelo, penugem);
A pera (substantivo = fruta);
O polo, os polos (substantivos = jogo ou extremidade).

Que não mudou?
a) PÔR (só o infinitivo do verbo): “Ele deve pôr em prática tudo que aprendeu”; POR (preposição): “Ele deve ir por este caminho”.
b) PÔDE é a 3ª pessoa do singular do pretérito perfeito do indicativo: “Ontem ele não pôde resolver o problema”; PODE é a 3ª pessoa do singular do presente do indicativo: “Agora ele não pode sair”.

Observação:
Sugiro que acentuemos fôrma (“fôrma de pizza”), como orienta o dicionário Aurélio, a fim de diferenciar de forma (“forma física ideal”).

Teste

Que opção completa corretamente a frase “Quando __________ os técnicos contratados, _____________ que a direção das empresas ____________ as providências necessárias”?
(a) chegarem / espera-se / tomem;
(b) chegar / espera-se / tomem;
(c) chegar / esperam-se / tome;
(d) chegarem / espera-se / tome;
(e) chegarem / esperam-se / tome.

Resposta do teste: letra (d). O sujeito de CHEGAREM é “os técnicos contratados” (=plural). O sujeito de ESPERA-SE é a oração “que a direção das empresas tome as providências necessárias”. O sujeito de TOME é “a direção das empresas” (= o núcleo do sujeito simples é “direção”).

A reforma ortográfica vem aí (3ª. parte)

Hoje veremos o que não muda nas regras de acentuação gráfica com a reforma ortográfica.

ACENTUAÇÃO GRÁFICA

Posição da sílaba tônica:
Proparoxítona (sílaba tônica na antepenúltima): pálido;
Paroxítona (sílaba tônica na penúltima): palito;
Oxítona (sílaba tônica na última): paletó.

Uso dos acentos gráficos:

– Regras básicas (nada muda com a nova reforma ortográfica):

1ª) Proparoxítonas – TODAS recebem acento gráfico:
máximo, cálice, lâmpada, elétrico, estatística, ínterim, álcool, alcoólico…

Observações:
déficit (forma aportuguesada) ou deficit (forma latina = sem acento gráfico);
habitat; sub judice (formas latinas);
récorde (usual, mas sem registro nos dicionários e no Vocabulário Ortográfico da ABL) ou recorde (forma registrada).

2ª) Paroxítonas – Só recebem acento gráfico as terminadas em:

ã(s) – ímã, órfã, ímãs, órfãs;
ão(s) – órfão, bênção, órgãos, órfãos;
i(s) – táxi, júri, lápis, tênis;
us – vírus, bônus, ânus, Vênus;
um, uns – álbum, álbuns, fórum, fóruns;
ons – íons, prótons, nêutrons;
ps – bíceps, tríceps, fórceps;
R – éter, mártir, açúcar, júnior;
X – tórax, ônix, látex, Fênix;
N – hífen, pólen, próton, elétron;
L – túnel, móvel, nível, amável;
ditongos – secretária, área, cárie, séries, armário, prêmios, arbóreo, água, mágoa, tênue, mútuo, bilíngue, enxáguem, deságuam…

Observações:
Não recebem acento gráfico as paroxítonas terminadas em:
a(s) – bola, fora, rubrica, bodas, caldas;
e(s) – neve, aquele, cortes, dotes;
o(s) – solo, coco, sapato, atos, rolos;
em, ens – nuvem, item, hifens, ordens;
am – falam, estavam, venderam, cantam.

Palavras com dupla pronúncia (com ou sem acento gráfico)
Em negrito, está a forma preferencial:

Vejamos alguns exemplos que já aparecem nas mais recentes edições de nossos principais dicionários e no Vocabulário Ortográfico publicado pela Academia Brasileira de Letras.

ACROBATA ou ACRÓBATA
AUTÓPSIA ou AUTOPSIA
BIÓPSIA ou BIOPSIA
BIOTIPO ou BIÓTIPO
BOEMIA ou BOÊMIA
CATÉTER ou CATETER
CRISÂNTEMO ou CRISANTEMO
DUPLEX ou DÚPLEX
HIEROGLIFO ou HIERÓGLIFO
NECRÓPSIA ou NECROPSIA
ÔMEGA ou OMEGA
ORTOEPIA ou ORTOÉPIA
PROJÉTIL ou PROJETIL
TRIPLEX ou TRÍPLEX
XÉROX e XEROX

Teste

Que opção completa corretamente a frase “Aprendi que ___________ resolver problemas quando ____________ qualidade de caráter e inteligência”?
(a) são impossíveis / faltam;
(b) são impossível / falta;
(c) são impossíveis / falta;
(d) é impossíveis de / falta;
(e) é impossível / faltam.

Resposta do teste:

letra (e). O sujeito de É IMPOSSÍVEL é a oração “resolver problemas”. Quando o sujeito é oracional, a concordância deve ser feita no singular. E o sujeito de FALTAM é composto (qualidade de caráter + inteligência). Quando o sujeito é composto, o verbo concorda no plural.

Reforma ortográfica (4ª parte)

Mais algumas regras de acentuação gráfica que não serão afetadas pela reforma ortográfica.

3ª) Oxítonas – Só recebem acento gráfico as terminadas em:
a(s) – sofá, atrás, maracujá, babás, dirá, falarás, encaminhá-la, encontrá-lo-á;
e(s) – café, pontapés, você, buquê, português, obtê-lo, recebê-la-á;
o(s) – jiló, avô, avós, gigolô, compôs, paletó, após, dispô-lo;
em, ens – além, alguém, também, parabéns, vinténs, ele intervém, tu intervéns.

Observações:
Não recebem acento gráfico as oxítonas terminadas em:
i(s) – aqui, saci, Parati, anis, barris, adquiri-lo, impedi-la;
u(s) – bauru, urubu, Nova Iguaçu, Bangu, cajus, expus;
az, ez, oz – capaz, talvez, atroz;
or – condor, impor, compor;
im – ruim, assim, folhetim.

4ª) Monossílabas – Só recebem acento gráfico as palavras tônicas (substantivos, adjetivos, verbos, pronomes, advérbios, numerais) terminadas em:
a(s) – pá, gás, má, más, ele dá, há, tu vás, dá-lo, já, lá;
e(s) – fé, ré, pés, mês, que ele dê, ele vê, vê-los, tu lês, três;
o(s) – pó, dó, nó, nós, cós, vós, pôs, pô-lo.

Observações:
a) Não recebem acento gráfico os monossílabos tônicos terminados em:
i(s) – ti, si, bis, quis;
u(s) – tu, cru, nus, pus;
az, ez, oz – paz, fez, vez, noz, voz;
or – cor, for, dor;
em, ens – bem, sem, trens, ele tem, ele vem, tu tens, tu vens.

b) Não recebem acento gráfico os monossílabos átonos:
artigos definidos: o, a, os, as;
conjunções: e, mas, se, que;
preposições: a, de, por;
contrações: da, das, no, nos;
pronome relativo: que.

c) A palavra QUE recebe acento circunflexo, quando substantivada ou no fim de frase:
As crianças tinham um quê todo especial.
Procurava não sabia o quê.
Ele viajou por quê?

Palavras que só admitem uma pronúncia, mas deixam dúvidas.
(marcamos a sílaba tônica, para reforçar a pronúncia culta)

1. ACÓRDÃO (acordo judicial)
2. ACORDÃO (aumentativo de acordo)
3. AMBROSIA
4. ARGUI (ele = presente do indicativo)
5. ARGUI (eu = pretérito perfeito do indicativo)
6. CÁQUI (cor)
7. CAQUI (fruta)
8. CIRCUITO
9. CLITÓRIS
10. CLÍTORIS (pedra)
11. ESTRATÉGIA
12. FILANTROPO
13. FLUIDO (substantivo)
14. FLUÍDO (particípio do verbo FLUIR)
15. FORTUITO
16. GRATUITO
17. IBERO
18. ÍNTERIM
19. LÁTEX
20. MAQUINARIA
21. MAQUINÁRIO
22. MISTER (necessário)
23. MONÓLITO
24. NOBEL
25. OCEANIA
26. ÔNIX
27. RECORDE
28. RUBRICA

Teste

Que opção completa corretamente a frase “Se não __________ pessoas disponíveis, qual de nós ___________ o trabalho?”
(a) existir / fará;
(b) existirem / fará;
(c) houver / faremos;
(d) houverem / fará;
(e) existirem / faremos.

Resposta do teste: letra (b). O verbo HAVER, com o sentido de “existir”, fica sempre no singular (=houver pessoas disponíveis), mas o verbo EXISTIR deve concordar com o seu sujeito (=EXISTIREM pessoas disponíveis). O sujeito do verbo FAZER é “qual de nós”. Como o núcleo do sujeito simples é “qual”, o verbo deve concordar no singular: “qual de nós FARÁ o trabalho”.

Standard

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s