Dicas de Português, Grafia, Língua Portuguesa, Matéria Português, Português, Verbos

Diferenças entre palavras parecidas – Conserto x concerto – TAXAR x TACHAR – SESSÃO x SEÇÃO x CESSÃO – Grafia – Verbos – Matéria Português – Dicas de Português – Língua Portuguesa

Conserto x concerto: entenda as diferenças entre palavras parecidas

Esta coluna continua preocupada com o correto emprego das palavras. O assunto de hoje são as palavras homônimas homófonas (=iguais na pronúncia, diferentes na grafia e no significado) e as parônimas (=parecidas na forma e diferentes no significado).

Aqui estão os 15 casos mais citados pelos nossos leitores. Todos querem saber qual é diferença entre…

1)    CONSERTO = correção, reparo – “Consertam-se sapatos”;

CONCERTO = sinfonia, harmonia – “O concerto será no Municipal”;

2)    TAXAR = tributar, pôr uma taxa – “Estes serviços serão taxados”;

TACHAR = rotular, considerar – “Foi tachado de corrupto”;

3)    SESSÃO = reunião – “Começou a sessão do júri”;

SEÇÃO = parte, divisão, departamento – “Está na seção de vendas”;

CESSÃO = ato de ceder – “Fez a cessão dos seus bens”;

4)    CASSAR = anular – “Querem cassar o mandato do prefeito”;

CAÇAR = apanhar, pegar – “Querem caçar o animal”;

5)    COZER = cozinhar – “Gosta de ovos cozidos”;

COSER = costurar – “Precisa coser a camisa rasgada”;

6)    SERRAR = cortar – “Os galhos foram serrados”;

CERRAR = fechar – “Ficou com os olhos cerrados”;

7)    INCIPIENTE = iniciante, o que está no início – “Era um projeto incipiente”;

INSIPIENTE = não sapiente, ignorante, sem sabedoria – “Era um argumento insipiente”;

8)    RATIFICAR = confirmar – “O presidente vai ratificar a nossa decisão”;

RETIFICAR = corrigir – “É necessário retificar o seu erro”;

9)    DESAPERCEBIDO = não apercebido, desprovido, desinformado – “Ficou desapercebido” ;

DESPERCEBIDO = não percebido, não observado – “O juiz passou despercebido”;

Alguns dicionários já consideram DESAPERCEBIDO sinônimo de DESPERCEBIDO (= não despercebido).

10) MANDATO = representação, poder de mando – “Cassaram o seu mandato”;

MANDADO = ordem judicial – “Impetrou um mandado de segurança”;

11) TRÁFEGO = de trânsito, movimento – “O tráfego está muito intenso nesta rua”;

TRÁFICO = comércio – “O tráfico de drogas está cada vez maior”;

12) DESCRIÇÃO = ato de descrever – “Foi fazer a descrição do cenário”;

DISCRIÇÃO = qualidade de quem é discreto – “Agiu com muita discrição”;

13) DESTRATAR = tratar mal – “Foi destratada em público pelo marido”;

DISTRATAR = romper um trato – “Não querem mais cumprir o contrato. Vão assinar um distrato”;

14) INFRINGIR = transgredir, violar, desrespeitar – “Está infringindo a lei”;

INFLIGIR = aplicar, impor – “Está infligindo um castigo”;

15) PRESCREVER = receitar ou perder a validade – “O médico prescreveu este remédio”, “O prazo já prescreveu”;

PROSCREVER = banir, expulsar – “Ele foi proscrito da cidade”.

GOSTAVA  ou  GOSTARIA?

Pergunta do leitor : “Eu gostava muito de conhecer o Brasil” e “Eu gostava muito de ir mas não posso”. A conjugação do verbo está correta?”

O nosso problema é o de sempre: querer reduzir tudo a uma simples questão de certo ou errado.

O uso do verbo no pretérito imperfeito do indicativo (=gostava) em vez do futuro do pretérito do indicativo (=gostaria) é muito comum em Portugal. É uma característica do português falado em Portugal. Não podemos considerar erro. Esse fato linguístico é abonado por muitos autores da nossa literatura.

É, portanto, uma questão de adequação.

No Brasil, o mais frequente é usarmos o verbo no futuro do pretérito do indicativo: “Eu gostaria muito de conhecer o Brasil”, “Eu gostaria muito de ir mas não posso”.

Usamos o pretérito imperfeito do indicativo para indicar fatos habituais no passado: “Na minha infância, eu gostava de visitar meus avós”.

OUTRA DÚVIDA

Deu num bom jornal: “Se o governo deixar correr solto (…) assistir impávido a cada um dos partidos que o apoiam escolher um candidato…”

O leitor tem razão: estamos confundindo impávido com impassível.

IMPÁVIDO significa “que não tem pavor, destemido” e IMPASSÍVEL é “ausência de paixão, de sentimento, indiferente à dor, que não padece”.

Portanto, o autor queria dizer “assistir impassível”, ou seja, “sem paixão, sem ação, sem sofrimento, indiferente”.

Anúncios
Standard

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s