Educação Física, Esportes, Kung-Fu, Trabalho Escolar, Trabalhos Escolares

Kung-Fu – (Educação Física – Esportes)

Kung-Fu – Técnicas corporais desenvolvidas para o combate

As artes marciais são assim denominadas por apresentarem a proposta de desenvolvimento integral do praticante, a partir de técnicas corporais especificamente desenvolvidas para o combate e associadas a uma prática rigorosa disciplinadora, que se apresentam de modo mais abrangente do que simplesmente um mecanismo de luta. É nesse caso que o kung-fu se enquadra.
Para o Ocidente, é provável que a imagem do kung-fu esteja expressa em filmes hollywoodianos, produzidos em meados do século XX. Nesses filmes, os detentores da prática do kung-fu realizam movimentos inimagináveis em outras culturas. Segundo Mazzoni e Oliveira Júnior (2011), alguns monges chineses são capazes de executar movimentos tão inesperados quanto os reproduzidos cinematograficamente.

Os monges aqui referidos são aqueles pertencentes ao templo Shaolin, localizado na China. Acredita-se que o kung-fu tenha surgido na Índia e tenha sido levado à China apenas por volta de 500 d.C. pelo monge Bodidharma, que teria incluído a meditação como parte integrante da arte marcial. Sua origem budista foi parcialmente modificada ao se instalar no templo chinês Shaolin. Isso porque o budismo indiano pregava o ascetismo de seus praticantes, enquanto a versão budista de Bodidharma apenas impedia o praticante do exercício de atitudes extremas, como matar e roubar.

Até esse momento, as práticas do kung-fu eram transmitidas apenas entre monges, caracterizando uma relação íntima entre discípulo e mestre. No entanto, a partir dos séculos XIV e XV, especificamente durante o governo da dinastia Ming, houve um crescimento na quantidade de praticantes do kung-fu bastante significativo. Assim, se antes as técnicas do kung-fu permaneciam em segredo entre os monges do templo Shaolin, após esse período técnicas de outras artes marciais foram agrupadas à prática dos monges, e o kung-fu deixou de ser um segredo, tornando-se uma técnica a ser aprendida e ensinada. Esse processo permitiu à dinastia Ming o uso dos monges como soldados, protegendo seu território contra piratas japoneses por mais de uma vez.

Uma das características mais visíveis do kung-fu é o uso de armas. A manipulação técnica de armas para o combate remete à evolução da técnica em função de combates de guerra. Os instrumentos mais comuns são o bastão, a lança, o facão e a espada. Essas técnicas extremamente desenvolvidas de manipulação de armas caíram em desuso para soldados quando as armas de fogo passaram a ser utilizadas em campos de batalha. No entanto, ainda são parte integrante da prática do kung-fu até os dias de hoje.

Recentemente, o kung-fu passou por um processo de esportivização, que consiste em minimizar o apego às tradições, em prol de tornar-se um esporte de reconhecimento e de lucratividade no mundo ocidental. Isso se reflete na regulamentação de regras para a prática na detenção de diretrizes por parte de Federações e de Confederações; e na tentativa de incluí-lo como esporte olímpico.

A inclusão do kung-fu como esporte de disputa em jogos olímpicos consiste em uma estratégia chinesa, obviamente importante, para se afirmar como potência esportiva. Um esporte como esse, cujas disputas se dão em formatos de categorias, podem resultar em grande quantidade de medalhas para esse país, onde a prática do kung-fu é mais comum e, consequentemente, a quantidade de atletas de alto nível deve manter a lógica e seguir a mesma constante.

Anúncios
Standard

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s