Futebol, História do Futebol

História do Futebol – SUA MAJESTADE A BOLA – ARQUIVO DO FUTEBOL – CHARLES MILLER – O pai da matéria. – CURIOSIDADES DO ESPORTE

HISTÓRIA DO FUTEBOL

O INÍCIO NO BRASIL
CHARLES W. MILLER – Pode-se considerar que Charles Miller tenha sido “o pai” do futebol brasileiro. No ano de 1894, retornando de seus estudos na Inglaterra, trouxe na bagagem, a primeira bola de futebol a rolar nos campos brasileiros.

Charles Miller, na opinião de alguns, como João Saldanha, em seu livro “O Futebol” – Bloch Editores, Rio de Janeiro, 1971, pg. 46 -, teria sido maior do que o Rei Pelé. Não foi apenas um jogador de extrema habilidade, resultado de suas experiências obtidas no selecionado de Hampshire, quando defendia as cores do Southamptom Football Club, mais do que isso, ele tinha o perfeito domínio das regras do futebol da época e apitava os jogos realizados, inicialmente, no São Paulo Athletic Club, clube que reunia altos funcionários ingleses da Companhia de Gás, do Banco de Londres e da São Paulo Railway.

CURIOSIDADES DO ESPORTE

Clube mais antigo do Mundo:
NOTTS COUNTY da Inglaterra, fundado em 1862 – atualmente disputando a 4ª Divisão Inglesa.

O Primeiro jogo Internacional da História do Futebol:
ESCÓCIA X INGLATERRA
Data: 30 de novembro de 1872
Local: Glasgow – Escócia
Arbitragem: Ms. Keay da Escócia
Placar final: Escócia 0 X 0 Inglaterra
Escalação: Escócia – Gardner, Ker, Taylor, Thompson, J. Smith, R. Smith, Leckie e Rhind, Mackinnon, Weir e Wotherspoon
Inglaterra – Barker, Greenhalph, Welch, Chappell e Maynard, Brockbank, Clegg e Kirkesmith, Ottaway, Chenery e Morice.
Público: 3.500 torcedores

O Primeiro jogo de futebol no Brasil:
FUNCIONÁRIOS DA COMPANHIA DE GÁS X CIA. FERROVIARIA SÃO PAULO RAILWAY
Data: 14 ou 15 de abril de 1895 (a data não é precisa)
Placar final: FUNCIONÁRIOS DA CIA. DE GÁS 2 X 4 CIA. FERROVIARIA SÃO PAULO RAILWAY
Ps: as duas equipes eram formadas por inglesas radicados em São Paulo
O Primeiro clube a disputar jogos no Brasil: 1895
SÃO PAULO ATHLETIC, fundado em 13 de maio de 1888, deixou o futebol em 1911. Existe ainda hoje apenas como Clube Social.

O Primeiro Campeonato Oficial de Futebol do Mundo:
Em 1863, CAMPEONATO DA GRÃ-BRETANHA
Participantes:
Campeão: Inglaterra

CHARLES MILLER – O pai da matéria.

O primeiro brasileiro a dominar a nobre arte de controlar a bola e marcar gols era quase um inglês. Charles Miller nasceu no Brás, em São Paulo, descendente de ingleses e escoceses. Aos 9 anos seguiu para a Inglaterra com a finalidade de estudar. Lá, aprendeu – e bem – a jogar futebol. Nos jogos oficiais de seu colégio. Charles era um artilheiro implacável. Marcou 41 gols em 25 partidas. “Nosso melhor atacante. Drible maravilhosamente rápido e chute brilhante. Marca gols com grande eficiência”, registrou na época o jornal da escola. Seu futebol chamou tanto a atenção que acabou convocado para jogar no time de Southampton, a seleção local. Sem falar da partida que disputou pelo Corinthian, famoso time amador inglês, o mesmo que mais tarde iria inspirar a fundação do Corinthians Paulista.
Quando desembarcou de volta ao Brasil em 1894, Charles Miller se surpreendeu ao descobrir que ninguém praticava o esporte bretão por aqui. Sorte que trouxera duas bolas, uma agulha, uma bomba de ar e dois uniformes. Começou então a catequizar seus companheiros de trabalho e de críquete – altos funcionários da Companhia de Gás, do Banco de Londres e Ferrovia São Paulo Railway, fundando o primeiro clube de futebol do Brasil, o São Paulo Athletic, clube que congregava os britânicos residentes em São Paulo.
O novo esporte vingou e, no primeiro campeonato disputado no Brasil ( o Paulista de 1902), lá estava Miller encabeçando a lista de artilheiros com 10 gols em nove jogos. O nosso homem-gol ainda jogou até 1910 pelo São Paulo Athletic Club. Depois atuou como árbitro e, finalmente, apenas como torcedor. Morreu em 1953, coberto de glórias por ter introduzido p futebol no país, mas sem ver o Brasil campeão do mundo.

ARQUIVO DO FUTEBOL

ASSOCIAÇÃO ATHLETICA DO MACKENZIE COLLEGE – Os alunos e professores do Mackenzie decidiram chutar a bola de basquete, resolveram também fundar um clube dedicado especificamente ao futebol. Assim surgiu, em 1898, o primeiro clube de brasileiros e para brasileiros. Apesar de vitórias esporádicas, o Mackenzie nunca foi campeão de nada. A não ser, talvez, da elegância. O uniforme do time era camisa
vermelha, calção e gravata brancos.

SUA MAJESTADE A BOLA

Shoot, Fussball e Dupont. Estas eram as marcas das primeiras bolas que quicaram no Brasil. Seus donos eram rapazes de fino trato que haviam estudado na Europa, onde aprenderam a jogar o futebol. As pioneiras, Shoot vieram da Inglaterra, trazidos pelo brasileiro de ascendência inglesa Charles Miller, no ano de 1894 – cinco (05) anos após a Proclamação da República e seis (06) depois da Princesa Isabel Ter promulgado a Lei Áurea -. Já a Fussball foi trazida da Alemanha por Hans Nobiling. Finalmente a Dupont foi uma encomenda de Oscar Cox a um amigo que viajou à Suíça.

Todas eram muito parecidas entre si, mas bem diferentes das bolas de hoje. Tinham uma abertura por onde entrava uma câmara inflável de borracha. O principal problema surgia na hora de cabecear, quando o cadarço que amarrava a fenda podia machucar as cabeças menos protegidas, Daí o hábito de muitos jogadores usarem uma touquinha.
No inicio do futebol brasileiro, para suprir a demanda cada vez maior, a saída foi importar pelotas inglesas.

A mais procurada era a McGregor. Mas não tardou para que um artesão chamado Caetano começasse a fabricar as primeiras bolas nacionais na sua sapataria da Rua Ipiranga, em São Paulo. Logo, outros sapateiros entraram no ramo promissor e o Brasil passou de importador a exportador de bolas, principalmente para a Argentina e Uruguai. Mesmo assim a redonda era um artigo de luxo e a criançada brincava mesmo era com bolas de meia recheadas com palha ou papel. A maior parte dos nossos craques começou assim.

Na década de 40, a bola que imperava nos gramados brasileiros tinha uma costura interna, sem a abertura e o cordão. Mas o seu couro marron continuava a encharcar nos dias de chuva ou nos campos cheios de lama. “Ficava tão pesada que eu tinha que jogar de esparadrapo nas mãos e os homens de linha tinham de enfaixar os pés”, contou Oberdan Catani para a Revista Placar – 10/94, n.º 1097 -, goleiro do Palmeiras e da Seleção nos anos 40.

A partir da Copa de 62, a bola passou a ser fabricada com dezoito (18) gomos, ganhando uma forma mais perfeita e estável. A cor branca que sempre foi usada nos jogos noturnos, se tornou também a preferida nos diurnos depois da Copa de 70.
Hoje as bolas são filhas da tecnologia – pelo menos no exterior. Como referência, o modelo da bola utilizada na Copa de 94, foi desenvolvida com diversas camadas de material sintético que potencializa os chutes e apresenta alta durabilidade e resistência.
De acordo com as normas Internacionais do Futebol, a bola deve ser esférica, com o invólucro exterior de couro ou em outro material apropriado. Não poderá ser empregado em sua confecção nenhum material que possa representar perigo aos jogadores.
A bola deverá Ter uma circunferência de 70 cm no máximo e 68 cm no mínimo. Seu peso, no início da partida, deverá ser de 450 g no máximo e de 410 g no mínimo. A pressão deverá ser igual a 0,6 – 1,1 atmosferas (600 – 1.100 g/cm²) ao nível do mar.

Futebol

Não importa o quanto o futebol seja feito de contradições: ele atrai as massas do mundo todo, como nenhum outro esporte faz

O futebol é mais do que uma paixão nacional: é uma paixão mundial! Ainda que nós, brasileiros, quiséssemos que o futebol fosse uma invenção nacional, o mérito de sua criação é da Inglaterra. Esse esporte ganhou suas formas modernas no final do século XIX.

No Brasil, o futebol se firmou como um esporte de massas: embora houvesse times elitistas, a grande maioria dos times de futebol que permanece até os dias de hoje se formou a partir de grupos de trabalhadores ou de estudantes que se reuniam para “jogar bola” no campinho do seu bairro.

Uma curiosidade bastante interessante sobre o futebol nacional é que a primeira torcida organizada de que se tem notícia era composta por um grupo exclusivamente feminino. Trata-se da torcida organizada do Atlético Mineiro, cuja mãe de um dos fundadores do time, Dona Alice, fabricava bandeirinhas para que as moças, acompanhantes de seus namorados ou maridos, fossem ao estádio torcer pelo Atlético.

Hoje em dia o cenário do futebol não é mais o mesmo da época de Dona Alice: o futebol está altamente profissionalizado. Os clubes menores viraram grandes empresas que lucram significativamente com a venda de jogadores das categorias de bases. O mesmo fazem os clubes maiores, mas com um adicional: vendem craques a preços altíssimos e colocam jogadores mais novos no lugar, para que se tornem também craques. Esse mecanismo retroalimenta a indústria do futebol.

O desenvolvimento tecnológico também acompanha todo esse processo: são desenvolvidos novos materiais, cada vez mais resistentes e flexíveis, para chuteiras; materiais mais leves que auxiliam na respiração corporal durante as partidas; e bolas que, cada vez mais, diminuem seu atrito com o campo. Até esses equipamentos têm se tornado “estrelas” do futebol contemporâneo, basta olhar para o caso da bola feita especialmente para a Copa do Mundo de 2010, sediada pela África do Sul: a Jabulani. Pois é: a bola fabricada pela Adidas ganhou até nome, personificando um objeto de composição do esporte.

O resultado desse processo fica claro quando ouvimos as pessoas mais velhas, como nossos pais ou avós, dizerem que o futebol não é mais o mesmo, e que, antigamente, se jogava com amor à camisa do seu time, e não pelos altos salários pagos hoje em dia. Porém, o que eles esquecem é que quase 90% dos jogadores profissionais brasileiros recebem salários irrisórios, e que estes, ainda que almejem um ganho de salário bastante alto, jogam sim por amor ao futebol.

Ao menos aparentemente, não importa o quanto o futebol seja feito de contradições: ele atrai as massas do mundo todo, como nenhum outro esporte faz.

Advertisements
Standard

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s