Gramática, Matéria Português, Português

Substantivo – Matéria Português

Definição: o substantivo é a classe variável que nomeia objetos, pessoas, sentimentos, lugares…

Classificação:

Primitivos – Criam outras palavras. Ex.: terra, casa
Derivados – São criados a partir de outras palavras. Ex.: terreiro, aterrar; casebre, casinha
Simples – Formados por apenas um radical. Ex.: cabra, tempo
Compostos – Formados por mais de um radical. Ex.: cabra-cega, passatempo
Comuns – Qualquer ser da espécie. Ex.: rua, praça, mulher
Próprios – Um ser específico da espécie. Os substantivos próprios serão sempre escritos com inicial maiúscula. Ex.: rua Rio de Janeiro, praça Duque de Caxias, Isabela
Concretos – Nomeiam objetos, lugares, pessoas, animais… Podem ser visualizados. Ex.: Carmem, mesa, urso
Abstratos  – Nomeiam ações, estados, sentimentos, qualidades… Dependem de  outros seres para existir. Não é possível visualizá-los. Ex.:alegria, tristeza. Quando quero visualizar alegria posso desenhar um sorriso, por exemplo, mas não a alegria.
Coletivos – transmitem a noção de plural, embora sejam grafados no singular. Nomeiam um agrupamento de seres da mesma espécie.
Abaixo lista de alguns coletivos:

Alcatéia – De lobos
Álbum – De fotografias
Antologia – De trechos literários
Assembléia – De parlamentares, associados
Baixela – De objetos de mesa
Banca – De examinadores
Bandeira – De garimpeiros
Bando – De aves
Cacho – De uvas
Cancioneiro – De poemas, canções
Concílio – De bispos
Corja – De ladrões
Elenco – De artistas
Enxoval – De roupas
Feixe – De lenha
Flora – De vegetais
Girândola – De fogos de artifício
Junta – De examinadores, médicos, bois
Legião – De demônios, soldados, anjos
Malta – De desordeiros
Nuvem – De insetos
Panapaná – De borboletas
Pinacoteca – De pinturas
Plantel – De atletas, animais de raça
Repertório – De peças teatrais, anedotas, músicas
Revoada – De pássaros
Romanceiro – De poesias populares
Súcia – De pessoas desonestas
Vocabulário – De palavras

Número

Formação do plural nos substantivos simples

Regra geral: o plural é formado pelo acréscimo da desinência -s. Ex.: mapa / mapas, degrau / degraus

Terminados em -ão: plural em -ões, -ães ou ãos. Ex.: questão / questões, capitão / capitães, irmão/irmãos
Terminados em -r, -z: acréscimo de -es. Ex.: bar / bares, raiz / raízes
Terminados em -s: acréscimo de -es quando forem oxítonos; invariáveis quando não forem oxítonos. Ex.: país / países, lápis / lápis
Terminados em -l: substitui-se o -l por -is. Ex.: anel / anéis, álcool / álcoois Exceções: mal / males, cônsul / cônsules
Terminados em -m: trocam -m por -ns. Ex.: atum / atuns, álbum / álbuns
Terminados em -x: são invariáveis. Ex.: látex / látex, xerox / xerox
Terminados em -zito, -zinho: pluraliza-se a palavra primitiva sem o -s e a terminação. Ex.: balão + zinho = balõe(s) + zinhos / balõezinhos
Formação do plural nos substantivos compostos

Flexionam-se os substantivos, adjetivos, numerais e pronomes sem preposição entre eles.  Ex.: primeiro (numeral) – ministro (substantivo) / primeiros-ministros

Não se flexionam os verbos, advérbios e demais palavras invariáveis. Ex.: vira(verbo) – lata(substantivo) / vira-latas

Elementos ligados por preposição: só o primeiro elemento é flexionado. Ex.: mula-sem-cabeça / mulas-sem-cabeça
Palavras repetidas ou onomatopaicas: só o segundo elemento é flexionado. Ex.: pingue-pongue / pingue-pongues, reco-reco / reco-recos
Quando o segundo elemento limita ou determina o primeiro: só o primeiro elemento é flexionado. Ex.: caneta-tinteiro / canetas-tinteiro, peixe-boi / peixes-boi

Gênero

Quanto ao gênero, os substantivos podem ser:

Biformes:  possuem duas formas, uma para o feminino e outra para o masculino.  Ex.: gato / gata, cabra / bode

Uniformes: possuem apenas uma forma para os dois gêneros.

Os substantivos uniformes se subdividem em:

Epicenos: uma só forma para os dois gêneros, a distinção é feita pelas palavras macho e fêmea.
Ex.: formiga macho / formiga fêmea, cobra macho / cobra fêmea

Comuns de dois gêneros: uma só forma para os dois gêneros, a distinção é feita pelo determinante (artigo, pronome, adjetivo…). Ex.: a pianista / o pianista, belo colega / bela colega

Sobrecomuns: uma só forma para os dois gêneros, não é possível fazer a distinção pelos determinantes. A distinção pode ser feita pela expressão: do sexo masculino/ do sexo feminino. Ex.: a pessoa, a criatura, a criança, o cônjuge

Grau

É a possibilidade de indicar o tamanho do ser que nomeia.

Os substantivos podem estar em três graus:

normal
aumentativo
diminutivo
As variações de grau podem ser feitas de duas formas:

Analítica: Acréscimo de um adjetivo: casa pequena/grande, pé pequeno/grande

Sintética: Acréscimo de um sufixo: casinha-casebre/, pezinho/pezão

Alguns sufixos utilizados na formação do grau sintético:

Grau diminutivo: -inho, -zinho, -ebre, -im, -acho, -ejo, -eta, -ote… Ex.: amorzinho, riacho, lugarejo

Grau aumentativo: -ona, -ázio, -aça, -az, -arra… Ex.: bocarra, copázio, mulherona

Advertisements
Standard

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s