Geofísica, Geografia, Geologia

Industrialização e Urbanização – Indústria – Tipos de Indústrias – Indústria Japonesa – China – 3º Mundo Industrializado – Industrialização no Brasil – Industria Brasileira Pós IIº Guerra Mundial – Dívida no governo J.K. – Industrialização: da Ditadura aos dias de hoje – O Brasil no comércio internacional – Concentração e dispersão industrial


Industrialização
  1. Origens:
    • Clássica: É aquela que surgiu na Inglaterra no séc. XVIII, e na Europa, EUA e Japão no séc. XIX.
    • Planificada: É aquela que surgiu no séc. XX nos países socialistas.
    • Tardia: É aquela que surgiu nos países subdesenvolvidos pós 2º Guerra Mundial.
  2. Tipos:
    • Indústria Pesada: Origens da industrialização clássica e planificada.Visa produzir produtos que servem para as indústrias leves.
      • Indústria de Bens de Produção.
      • Indústria de Base.
    • Indústria Leve: Produtos que visam, em prioridade, o consumidor final.
      • Indústria de Bens de Consumo.
        • Durável – Automobilística,.. .
        • Não Durável – Têxtil, alimentícia,… ( O Brasil inicia aqui sua industrialização tardia)
 
Indústria
·         Impacto positivo
– Desenvolve a economia
– Gera empregos direta e indiretamente
– Gera impostos
– Desenvolve o comércio (local)
– Tecnologia
– Desenvolve o setor primário (matéria prima)
– Desenvolve o Sistema de Transporte.
·         Impacto negativo
– Degradação do meio ambiente.
– Multinacionais (domínio econômico e político).
– Mudanças de consumo.
– Especialização da mão-de-obra.
·         Concentração Industrial
– Espacial – terreno, geográfico. Muitas indústrias na mesma região. Encontra-se nos países desenvolvidos (Rev. Ind. ) subdesenvolvidos (multinacionais / capital estrangeiro).
– Financeiro – Associação econômica entre empresas.
   Horizontais – Grupos de empresas independentes.
   Verticais – Grupos de empresas ligadas.

Tipos de Indústrias
  • Indústrias de base ou de bem de produção:
    Transforma a matéria prima
    Máquinas para indústrias
  • Ind. leve ou de bens de consumo:
    duráveis e não duráveis.
·         Tecnologia:
T. de ponta – a mais avançada
T. clássica – é a básica e ultrapassada em relação a de ponta.
Dep. Tecnológico – não produz tecnologia,
Origem:
  Ind. Clássica: P. do Norte, Rev. Industrial, Art – Manufatura – Indus.
  Ind. Tardia: P. do Sul, dec. 60/70- multinacionais (empresa de ponta), capital estrangeiro
  • P. do Norte
    • Setores da atividade:
      – Secundário
      – Terciário (sociedade de consumo)
      -Quaternário (em todos têm)
    • Indicadores Sócio-Econômico:
      – Crescimento vegetativo baixo
      – Renda per capta alta
      – Concentração de renda
      – Homogênea
      – Expectativa de vida alta (70 anos)
      – Sociedade de consumo (desenvolvimento econômico)
  • P. do Sul
    • Setores de atividade econômica:
      – Primário
      – Secundário* (apenas a sub indústria)
      – Terciário* (P.S.I)
    • Indicadores Sócio-econômico
      – Crescimento vegetativo alto
      – Renda per capta baixa* , concentração de renda bastante  heterogênea
      – Expectativa de vida baixa (35 a 70 anos)
      – Problemas Sociais: Educação, Desemprego, Saúde, Fome, Moradia.
Indústria Japonesa 
·         Era Meiji (1868):
 – Início da industrialização
– Desenvolvimento tecnológico educação
– Condições para montar as indústrias
– Zaibatsus – dona das indústrias- grupo econômico familiares
– Provocou a 2º Guerra Mundial
Depois da guerra os EUA vencem e ajudam o Japão a recuperar, ajudando o Zaibatsus para retornarem o crescimento industrial. O Japão não podia ter forças armadas, gasta o dinheiro destinado a este para o desenvolvimento econômico. Presidente dos EUA está com medo da localização do Japão perto da URSS.
China 
Governo Socialista
Multinacionais e capital estrangeiro – Entrada de Mercado.
ZEE – Zonas Econômicas Especiais = Entrada de características capitalistas.
3º Mundo Industrializado
  • Tigres Asiáticos
    -Taiwan
    -Cingapura
    -Coréia do Sul
    -Honk Kong
    – Não formam um bloco econômico.
    – Rápido crescimento econômico.
    – Ind. Tardia
    – Tec. clássica
    – Ind. Incompleta
    – Capital estrangeiro (EUA e Japão)
    – Mercado Externo
  • Brasil
    – Ind. tardia
    – Tec. clássica
    – Ind. incompleta
    – Multinacional
    – Mercado interno
  • Transferência de Tecnologia
    do 1º Mundo para 3º Mundo
    da Tec. de Ponta para Tec. clássica
·         Vinda das multinacionais:
– dependência tecnológica (pouco desenvolvimento econômico)
– Descapitalização ( o dinheiro vai para fora)
– adaptação (tec. de uma realidade é implantada em outra totalmente diferente, causando desemprego)
·         Compra
·         Migração de Cérebro – do 3º Mundo para 1º Mundo
Industrialização no Brasil

Industrialização TARDIA
-Aconteceu pós II Guerra Mundial.

·         EUA e Europa vendiam industrializados para os paises subdesenvolvidos, e estes mandavam matéria prima.
·         Comércio entre EUA e Europa enfraquece com os países subdesenvolvidos, e volta-se principalmente a indústria Bélica.
·         Os países subdesenvolvidos têm que desenvolver a indústria que comprava das grandes potências, é a chamada Indústria de Substituição.(Tardia)
·         Volta da venda de industrializados dos EUA e Europa para os países subdesenvolvido, mas há algumas tarifas alfandegárias para garantir o Protecionismo.
·         Entrada de Multinacionais e transnacionais nos países subdesenvolvidos, evidenciando a entrada de capital externo, nos tornando mais dependentes.
Antes da 2º Guerra Mundial.
Durante a 2º Guerra Mundial
Pós 2º Guerra Mundial
OBS.: Multinacional é diferente de Transnacional. A primeira se caracteriza por uma industria que transfere sua produção para o país, mas mantém sua administração e padrões de produção no país da matriz. Já transnacionais transferem a parte produtiva e sua administração para o país, adequando sua produção os valores locais.
 
Industria Brasileira Pós IIº Guerra Mundial
·         Consolida-se o modelo urbano industrial.
·         Forte presença do capital externo.
·         O governo Vargas constrói a CSN(Companhia Siderúrgica Nacional) e a Petrobrás.
·         Durante o governo Vargas desenvolve-se uma política nacionalista.
·         Durante o governo J.K. aumento a participação do capital externo devido à abertura de estradas, à construção de Brasília e a vinda da Indústria Automobilística.
 
Dívida no governo J.K.
Deu-se o aumento desta com a necessidade do Estado entrar na economia como o responsável pela infra-estrutura.
A partir de tal atitude do Estado, vamos discutir sobre os investimentos na indústria pela Tríplice Aliança, sendo esta, a elite nacional, o capital externo e o Estado.
·         A Elite Nacional investiu na indústria de Bens de Consumo não durável.
·         O Capital Externo em indústrias de Bens de Consumo Durável.
·         E o Estado na Indústria de Bens de Produção.
Industrialização: da Ditadura aos dias de hoje
A Ditadura iniciou-se em 1964, intensificou com o tempo e foi marcada pela crueldade de suas torturas, adotando a política do Pão e Circo, que preservava a alimentação e a diversão da população, principalmente. Os grandes projetos elaborados nesse período contribuíram para o aumento da nossa dívida externa, através do chamado “milagre brasileiro”, que durou entre 1968 à 1973. Nesse processo de intensa industrialização aumentou-se o parque industrial brasileiro.
Em 1973 ocorreu a 1º crise do petróleo por problemas diplomáticos entre os EUA e os países exportadores deste produto. Com a elevação do preço do barril de petróleo, os juros cobrados em cima de nossas dívidas aumentaram, fazendo o Brasil pegar dinheiro emprestado com outros países favorecidos com a alta do petróleo, são os chamados petrodólares. Isso aumento significantemente nossa dívida externa, e desestabilizou um país que parecia estar numa corrente financeira, política e econômica ascendente.
Em 1979 aconteceu a 2º crise do petróleo, e de novo se elevou os juros nas grandes potências, mas o Brasil não tinha mais a quem recorrer para pedir dinheiro emprestado para pagar os juros, nos levando a entrar na década de 80 em crise, daí vem o nome “década perdida”. As medidas tomadas pelo governo foi emitir moeda, que elevou ao absurdo nossa inflação; trabalhar em cima da balança comercial pelo superávit, levando ao equilíbrio da balança de pagamentos; e até declarar moratória.
Nos anos 90 o fim do socialismo torna o mundo neoliberal, e com isto aumenta a participação do capital e de produtos externos na economia, e, conseqüentemente, a saída do estado desta, daí a explicação pelo grande número de empresas privatizadas no Brasil hoje em dia.
Anos 80
Anos 90
Guerra Fria (1947-90)
Nova ordem Mundial
EUAxURSS
  • Bipolaridade
Globalização
  • Multipolaridade
Economia-
  • 1º Plano – Poder Bélico
  • 2º Plano – Poder Econômico
Economia-
  • 1º Plano – Poder Econômico
  • 2º Plano – Poder Bélico
Poder Econômico – Caracterizado pelo neoliberalismo, vê-se o poder nos blocos econômicos e a intensificação da globalização
 
 O Brasil no comércio internacional
  • Com a globalização da economia mundial, o Brasil tem procurado se tornar um “Global Trade”, isto é, um país que seja parceiro e que faça comércio com todo o mundo.
  • Nos anos 90 o governo procurou incrementar os corredores de exportação, para assim projetar um superávit na balança comercial.
  • Entrada do Brasil no Mercosul mostra a intenção deste de ter maior participação na economia mundial.
Mercosul
  • Antes da criação do Mercosul, houve a formação do bloco ALAC, que foi substituído pela ALADI em 1980.
  • Outros blocos como MCCA e Pacto Andino existem na América Latina, porém o Mercosul é o principal por possuir um importante mercado consumidor.
  • Tende diminuir as dificuldades de comercialização deste grupo, aumentando a integração na economia um com o outro, resultado da globalização.
Concentração e dispersão industrial
·         Ao iniciar a industrialização de um país, ela inicialmente se concentra em um local, nas regiões fabris. Mas ao longo do tempo acontece a dispersão, com as fábricas mais modernas procurando outras áreas que atendam os seus interesses.
·         A região fabril deve-se a presença de matéria prima, mercado consumidor e facilidade de transporte.
·         Ocorre a dispersão pois as manchas de industrias torna seus terrenos caros, com altos impostos, sindicatos de trabalhadores… e para fugir disso as industrias procuram locais afastados, com menos impostos, melhores terrenos, e a tecnologia ajuda a facilitar esse processo.
·         Com o desenvolvimento de transportes e comunicações, as pequenas cidades próximas às áreas tradicionais de industria, tornam-se atrativas, e algumas indústrias são implantadas nessas novas áreas.
·         A dispersão industrial do sudeste começa pelo Rio de janeiro, pois a concentração econômica da lavoura cafeeira de São Paulo fez com que desenvolvesse o transporte ferroviário, então as industrias foram disperssando-se ao longo das ferrovias.
·         Nas últimas décadas a dispersão industrial tem acontecido pelo estado de São Paulo, já que as cidades periféricas oferecem condições favoráveis.
·         A criação da Zona Franca, na década de 70, foi responsável pela dispersão para o Norte. 



Standard

2 thoughts on “Industrialização e Urbanização – Indústria – Tipos de Indústrias – Indústria Japonesa – China – 3º Mundo Industrializado – Industrialização no Brasil – Industria Brasileira Pós IIº Guerra Mundial – Dívida no governo J.K. – Industrialização: da Ditadura aos dias de hoje – O Brasil no comércio internacional – Concentração e dispersão industrial

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s